Notícias

  • Oposição vota contra LDO que deixa servidores sem previsão de reposição salarial

    Oposição vota contra LDO que deixa servidores sem previsão de reposição salarial

     A Assembleia Legislativa aprovou hoje em segundo turno (10) a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2018. A bancada de oposição, que teve rejeitada uma emenda para garantir aos servidores públicos do Estado a possibilidade de receber reajustes, progressões e promoções no ano que vem, votou contra. O projeto de lei do Poder Executivo foi aprovado por 40 votos a 7.

    Líder da oposição, o deputado Tadeu Veneri (PT) disse que o governo Richa institucionalizou o “calote” ao funcionalismo público estadual. É o segundo ano consecutivo que a LDO prevê o não pagamento de reajustes, progressões e promoções aos trabalhadores.“É hora de fazer um amplo debate com os servidores públicos que vão ficar mais um ano sem ter o reajuste. São cerca de 150 mil servidores do Poder Executivo, a maioria da área da educação que mais uma vez serão prejudicados pelo governo Richa.”

    O parlamentar também criticou o Executivo estadual por ter estrategicamente subestimado a arrecadação para 2018. “A LDO prevê uma arrecadação menor do que realmente será executada. Isso gera uma distorção, porque o governo pretende ficar com um grande volume de recursos que não entraram no orçamento original e usar de forma discricionária, conforme bem entender.”

    Além de Veneri, votaram contra os deputados Ademir Bier, Nereu Moura, Requião Filho, do PMDB; Péricles de Mello e Professor Lemos, PT; e Nelson Luersen, do PDT.

    Liderança da bancada de Oposição